Text size

Poema do mês de setembro de 2017


3278 Foto 247

 

Ausência

Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência, essa ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim.

Carlos Drummond de Andrade, in 'O Corpo'

Agrupamento de Escolas de Seia - Rua Alexandre Herculano (sede) - 6270-428 SEIA - Telef: 238 315 717 - Fax: 238 317 416 - Email:  Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.