Text size

lmmarco2017.jpg“Quando Lisboa arde, o Rio de Janeiro pega fogo”

Hugo Gonçalves

Autor: Nasceu em Sintra, em 1976.

Estudou Comunicação Social no ISCSP e estreou-se como jornalista integrando a equipa fundadora da revista Focus.

Em 2000, recebeu o Prémio Revelação do Clube Português de Imprensa, com a reportagem “Esto es el fin del mundo” sobre as cheias na Venezuela, em dezembro de 1999.
Morou e foi correspondente de várias publicações portuguesas em Nova Iorque, Madrid e Rio de Janeiro.

Autor dos romances “O Maior espectáculo do mundo” (2004), “O Coração dos homens” (2006), “Enquanto Lisboa arde o Rio de Janeiro pega fogo” (2013) e o livro de crónicas e mini-ficções “Fado, samba e beijo com língua” (2011).

Ao longo da sua carreira, escreveu reportagens e crónicas para o Jornal de Notícias, Diário Económico, Diário de Notícias, jornal i, Expresso e revista Visão, onde colaborou com a “Crónica do Rio”.

Em 2015, lançou o ebook “Postais dos Trópicos – um português à solta no Rio de Janeiro”, uma compilação dos seus escritos no Brasil. Também em 2015 publicou o seu quarto romance “O Caçador do Verão”, pela LeYa Portugal.

Resumo: Quando a crise se instala em Portugal, arrastando uma onda de pessimismo sem fim à vista, um assessor político com ambições literárias e a cabeça a prémio decide fugir para o Brasil. Além do medo e do travo amargo do insucesso, leva com ele apenas uma mochila, o desejo de começar tudo do zero e uma encomenda secreta. 

O Rio de Janeiro continua lindo e os primeiros dias na cidade, com passeios de bicicleta pelo calçadão, mergulhos na praia e romances curtos e escaldantes, prometem, de facto, uma vida de sonho. Mas esse idílio é uma ilusão, porque o misterioso embrulho depressa o lança numa odisseia tropical de contornos perigosos, em busca do terceiro vértice de um triângulo amoroso. Determinado, porém, a cumprir a missão, o aspirante a escritor viajará por casas isoladas na serra, ilhas desertas e favelas e cruzar-se-á com um curioso universo de expatriados - terroristas bascos, sobreviventes do Holocausto e emigrantes portugueses -, que procuram agora, como antigamente, uma nova vida no hemisfério sul. E também com Margot, a mulher que pode mudar a sua vida. 

Longe da falência do seu passado, ele acredita que a aventura carioca pode ser o recomeço que procura, a história que finalmente dará um livro, a evidência de que, por mais que fuja, estará sempre preso ao lugar de onde partiu.

EDITORA:  

Sugestão: Manuela Silva

 

Agrupamento de Escolas de Seia - Rua Alexandre Herculano (sede) - 6270-428 SEIA - Telef: 238 315 717 - Fax: 238 317 416 - Email: direccao@aeseia.org